Epístolas Gerais - II Pedro

Autor: O apóstolo Pedro, 1:1.

Quando foi escrito: Escrita provavelmente em 66 A.D.

Tema Central: Uma advertência acerca dos falsos mestres e dos escarnecedores. Para combater a influência das falsas doutrinas, dá-se grande ênfase à Palavra de Deus e a certeza do cumprimento das promessas divinas.

Texto Chave: 3:1.

Paralelo entre II Timóteo e II Pedro: Nestas cartas, cada um dos escritores faz referência à proximidade da morte. II Timóteo 4:6; II Pedro 1:14.

Ambos os escritores predizem tempos perigosos para a igreja.
O predomínio dos ensinos falsos, 2Tm 3:13; 4:3; 2Pe 2:1.
A corrupção geral da sociedade, 2Tm 3:1-7; 2Pe 2:10-22.
A apostasia vindoura, 2Tm 4:3-4; 2Pe 2:2, 20-22.

Sinopse:
Saudação, 1:1-2.

Parte I.
A vida espiritual. Cap. 1.
O chamado a ela, v. 3.
Garantida por meio de promessas preciosas, v. 4.
Sete passos essenciais em seu desenvolvimento e frutificação, vs. 5-8.
Seu destino final, vs. 10-11.
Uma lembrança de despedida, vs. 12-15.
Uma experiência gloriosa, vs. 16-18.
A origem divina das Escrituras e seu poder iluminador, vs. 19-21.

Parte II.
Os falsos mestres, seu caráter e suas doutrinas corruptas. Cap. 2.
Suas heresias e sua negação de Cristo, v. 1.
Sua popularidade, influência perversa, avareza e hipocrisia, vs. 2-3.
Os juízos implacáveis de Deus sobre os anjos que pecaram, sobre os antediluvianos, e sobre Sodoma e Gomorra são advertências aos ímpios, vs. 4-6.
Os justos serão libertos, mas os injustos serão reservados para o juízo futuro, vs. 7-9.
Descrição adicional dos mestres apóstatas, sua características, obra e destino.
Sua sensualidade, presunção, arrogância e seus excessos, vs. 10-13.
Sua perniciosa influência e apostasia, devidos à ganância, vs. 14-16.
Sua vacuidade, instabilidade e destino futuro, v. 17.
Suas palavras infladas, acompanhadas de uma vida sensual, prometem liberdade aos homens, mas os conduzem ao cativeiro da depravação, vs. 18-19.
Sua apostasia e sua depravação total, vs. 20-22.

Parte III.
Predições acerca dos escarnecedores, da chegada do dia do Senhor (parusia), e uma exortação à firmeza. Cap. 3.
O propósito da carta, vs. 1-2.
O argumento dos escarnecedores, vs. 3-4.
A ignorância dos contestadores.
Acerca das Escrituras do Antigo Testamento, vs. 5-6.
Acerca da preservação do mundo presente para um juízo severo, v. 7.
A explicação da demora divina.
A duração de um dia de Deus, v. 8.
A misericórdia divina aplaca o castigo, v. 9.

A certeza da chegada do dia do Senhor, v. 10.

A atitude e a esperança dos crentes, vs. 11-14.

Recomendação acerca das cartas de Paulo e uma advertência contra a distorção das Escrituras, vs. 15-16.

Exortação à firmeza e ao crescimento espiritual, vs. 17-18.

O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; porém é longânimo para convosco, não querendo que ninguém se perca, senão que todos venham a arrepender-se.

"II Pedro 3:9"

A Bíblia Sagrada I João