João 3.16-18 - Reflexão

João 3:16-18

"Para refletir"

Por incrível que possa parecer, existem pessoas que ainda fazem confusão que estes três versículos que quase posso afirmar, serem os versículos mais conhecidos por todos, ou pela maioria dos seres humanos na terra.

Acredito que a divergência na interpretação destes versículos não se dá apenas com pessoas comuns, pessoas incrédulas (ímpios) apenas, mas daqueles que se dizem conhecedores da Palavra de Deus, inclusive pastores e ministros da Palavra.

Não tenho a mínima intenção aqui de criar discórdia ou coisa do gênero, pois, o meu intuito é apenas levar a verdade aos homens. Isso, além de uma ordem deixada por Jesus após ter ressurgido dos mortos. "E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura". Marcos 16:15). Também é uma das esperanças que faz com que o cristão persevere e siga sempre em direção a vida eterna. "Por causa da esperança que vos está reservada nos céus, da qual antes ouvistes pela palavra da verdade do evangelho". (Colossenses 1:5)

Vejamos então o que diz na Palavra de Deus, em João, conforme palavras do próprio Jesus:

- 16 "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna".
- 17 "Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele".
- 18 "Quem nele crê não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porque ele não crê no nome do unigênito Filho de Deus".


A propósito, deveríamos no mínimo nos perguntar: Como pode Deus enviar seu próprio Filho, Cristo, para morrer por nós, e como Jesus concordou em fazer tal coisa? "E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai". (João 1:14). Eu já me fiz essa pergunta muitas vezes, e você? Não há como interrogarmos a Deus e nem devemos proceder assim, mas conseguimos encontrar resposta para todas as nossas indagações, até mesmo para esta pergunta. E onde podemos buscar pelas respostas? Basta ouvir o que Deus diz pela Sua Palavra.

Quanto à resposta da pergunta acima vejamos no versículo 16 - "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito". As palavras de Jesus aqui, não só responde parte da nossa pergunta, mas também nos dá margem para analisarmos mais a fundo os sentimentos de Deus, não completamente, pois jamais conseguiremos tal feito, mas, pelo menos, o que Deus nos deixou aparente. E quanto ao restante da nossa questão: Por que Jesus concordou com Deus? Esta resposta é simples e vamos esclarecê-la também por meio do apóstolo João. Cristo disse: "Eu e o Pai somos um". (João 10:30). "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus". (João 1:1). "O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam, a respeito do Verbo da vida". (I João 1:1). E mais uma prova de que Jesus é Deus. "E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança...". (Gênesis 1:26). Com quem Deus estaria usando a palavra "façamos o homem" no plural, senão com Cristo? Mesmo com estas explicações, necessário é que eu faça ainda uma outra colocação: Mesmo sendo Jesus o Deus verdadeiro, e tendo tomado a forma de homem e vindo ao mundo através de Maria, em carne e ossos como nos conhecemos, Jesus se manteve em amor e justiça e em tudo obedeceu ao Pai, até a chega de Sua morte na terra. Veja o que Paulo fala aos irmãos da igreja de Filipos: "Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus, o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz". (Filipenses 2:5-8).

Vamos analisar agora o significado: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito...". Primeiro precisamos entender que jamais fizemos qualquer coisa para merecer o amor de Deus. "Mas Deus dá prova do seu amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós". (Romanos 5:8). O Senhor, certamente é tão Grandioso e Sublime que nos amou primeiro, mesmo sendo nós ainda pecadores e sequer merecermos o seu amor. "Nós amamos, porque ele nos amou primeiro". (I João 4:19). As palavras de João aqui são para aqueles já convertidos ao Senhor Jesus, aqueles que já O aprenderam amar. Por que isso? Ora, porque todos nós, pecadores como somos, convertidos ou não, já temos dentro de nós um prazer imenso pelo pecado, e, só com o Espírito Santo de Deus é que conseguimos resisti-los e abandoná-los.

Nesse versículo em particular é que conseguimos enxergar o verdadeiro amor de Deus. Por que? Justamente pelo sublime ato de dar Seu Único Filho para morrer por nós na cruz. Você, papai ou mamãe daria um filho seu, ainda que não fosse o único para morrer por um inimigo seu? Vou melhorar a pergunta: Você daria um filho seu para morrer pelo seu melhor amigo? Certamente que nem você nem eu temos um amor desses para demonstrar por quem quer que seja e menos ainda por um inimigo como éramos de Deus. Nós não conseguimos tal capacidade de amar. O amor de Deus foi: "... de tal maneira...", ou seja, o amor demonstrado por Deus por nós foi um amor sem medidas, um amor grandioso, um amor incomensurável. Deus nos amor um com amor tão grande que não temos capacidade de compreender.

E quem foi que Deus amou "... de tal maneira..."? Esta é uma das grandes confusões que fazem com a Palavra de Deus, onde os mais simples e retos de coração conseguem facilmente entender. "
Deus amou o mundo...". Esta é a resposta, mas ainda surge uma pergunta: Quem é o "... mundo..."? Ora, o mundo, meu amigo, não é essa imensa "bola" que vemos através dos grandes telescópios dos cientistas, ou o globo terrestre que vemos nos livros, "... o mundo..." é você, sou eu, seu filho (a), o apóstolo Paulo, Pedro, João, a Roberta, o da Silva, o Fernando, a Rute, o Raimundo, a Maria mãe de Jesus. O mundo somos nós seres humanos pecadores. Deus nos amou a cada um em particular. Sei que não devemos acrescentar nem tirar nada da Palavra de Deus, mas como ilustração vamos fazer uma substituição como um sinônimo apenas: "Deus amou o (Daniel, Você, Ester, Maria, José, Eu a Priscila, a todos) de tal maneira...". Consegue compreender?

Vamos então analisar a segunda parte do versículo 16 – "... para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna". Mas, como Deus é amor em abundância, também é um Deus de justiça. Nosso Deus é equilibrado nem mais nem menos, então vamos notar que Ele enviou Seu Filho, mas temos que acreditar nisso, senão pereceremos. O que quer dizer isso? Quer dizer que aquele que sabe, ou ouviu dizer que Deus o amou e pelo livre arbítrio o deixa fazer sua escolha acreditar ou não em Jesus. Aquele que acredita recebe de Deus o perdão por todos os seus pecados cometidos e a promessa de "vida eterna", por outro lado, aquele que não acredita em Cristo receberá a morte eterna, ou seja, a "perdição eterna", que significa separação eterna de Deus.

Veja o versículo 17 nos dá a explicação complementar que falta - "Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele". Jesus não veio a mundo para condenar o ser humano, quer seja ele bom... ruim ou péssimo. Não pesa em nada pagar em dia suas contas (importa, sim, aqui nessa terra, pois se não pagar a conta de luz vão cortar sua energia), se é ladrão, se é rico ou pobre, se é preto ou branco, isso não importa para Deus, pois Ele não faz acepção de pessoas "Pois o Senhor vosso Deus, é o Deus dos deuses, e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e terrível, que não faz acepção de pessoas, nem recebe peitas". (Deuteronômio 10:17), mas o motivo da (primeira) vinda de Jesus ao mundo foi para salvar as pessoas da condenação. Necessário é então que as pessoas reconheçam o amor de Deus e aceitem a Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas. "... Quem nele crê não é condenado...".

Aquele que não aceita Jesus para sua vida, aquele que não acredita em Jesus, aquele que vira as costas para Jesus não existe meio termo, o versículo 18 a seguir esclarece totalmente a situação dessas pessoas:"Quem nele crê não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porque ele não crê no nome do unigênito Filho de Deus". Conforme diz o próprio versículo "... mas quem não crê já está condenado...". Alguns dizem que no dia do julgamento Deus reconhecerá seus erros e perdoará.  Para esses Deus dirá: "... Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira vindoura?" (Mateus 3:7). "Ou fazei a árvore boa, e o seu fruto bom; ou fazei a árvore má, e o seu fruto mau; porque pelo fruto se conhece a árvore. Raça de víboras! como podeis vós falar coisas boas, sendo maus? pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca. (Mateus 12:33-34). Outros dizem que Deus é amor e jamais mandará um ser humano para o inferno. Para esses Deus diz: "Tenho eu algum prazer na morte do ímpio? diz o Senhor Deus. Não desejo antes que se converta dos seus caminhos, e viva?". (Ezequiel 18:23). Realmente Deus não tem prazer na morte eterna de ninguém, Ele não quer que ninguém seja lançado no inferno, mas é necessário tomar uma posição, ou o caminho largo (mundo) ou o caminho estreito (Jesus). Tome a sua! Faça sua escolha! Já quando nos convertemos a Jesus, quando escolhemos o caminho ao lado de Deus, Ele diz: "Preciosa é à vista do Senhor a morte dos seus santos". (Salmos 116:15). Por que? Não seria uma contradição da parte de Deus? De forma alguma! Deus sabe que estaremos com Ele e Seu amado Filho nos céus e não em tormenta eterna no inferno como aqueles que não creram.

Você, meu (minha) amigo (a) já creu em Jesus? Você já fez sua escolha ou ainda está condenado? Sabe realmente do que você precisa para se converter? Apenas e somente da fé. "Ora, sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam". ( Hebreus 11:6 ). No momento em que você abrir seu coração e deixar a fé guiá-lo e não mais o seu querer ou parecer, então você estará pronto para o Paraíso como o ladrão na cruz. "Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso". (Lucas 23:43). Esse ladrão não era uma pessoa boa, tal como o que estava à direita de Jesus na outra cruz, mas ele reconheceu que Jesus é realmente o Filho de Deus. "E nós, na verdade, com justiça; porque recebemos o que os nossos feitos merecem; mas este nenhum mal fez. Então disse: Jesus lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. (Lucas 23:41-42).

Ele sequer precisou buscar dia a dia pela sua salvação e continuar buscando como muitos dizem, ou ainda, em cumprimento a um mandamento de Jesus, batizar-se para ser salvo não! Ele simplesmente creu como diz no versículo 18 acima: "... Quem nele crê não é condenado...". Quando cremos em Jesus e O aceitamos estamos salvos de uma vez e para sempre. Já adquirimos, pela graça, a vida eterna. "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus". (Efésios 2:8). E, isso jamais será pode ser tirado de nós. O que Deus dá não toma de volta. Não existe nada nesta terra que nos tire a salvação, não há como perdê-la, isto é uma promessa. "Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem anjos, nem principados, nem coisas presentes, nem futuras, nem potestades, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor". (Romanos 8:38-39).

Que o Senhor abençoe Sua Palavra.

Jesus chorou.

"João 11:35"

Estudos Bíblicos José de Arimatéia, Ilustre Membro do Sinédrio