José de Arimatéia

Tudo que sabemos sobre José de Arimatéia é o que está registrado na Palavra de Deus, nos quatro evangelhos, e nada podemos acrescentar.

Qual era sua importância na sociedade?
"José de Arimatéia, ilustre membro do sinédrio, que também esperava o reino de Deus, cobrando ânimo foi Pilatos e pediu o corpo de Jesus. Admirou-se Pilatos de que já tivesse morrido; e chamando o centurião, perguntou-lhe se, de fato, havia morrido. (Marcos 15:43-44).

Como podemos ver na passagem acima, José de Arimatéia foi um homem ilustre e de poder, ele era membro do Sinédrio como Senador, e esperava o Reino de Deus.

Sinédrio, Conselho ou Concílio, era o Supremo Tribunal dos antigos judeus até a destruição de Jerusalém em 70 A.D. Consistia de 71 membros, inclusive o presidente. Não há prova de que se originou com a escolha dos 70 anciãos no tempo de Moisés (Números 11:16-17). É mais provável que iniciou no tempo do rei Josafá (II Crônicas 19:8). É atribuída a Josefo a primeira menção do Sinédrio; escreveu a divisão da Palestina em cinco synedria (57 A.C.). O Sinédrio julgava os casos criminosos ou administrativos que diziam respeito a uma tribo ou a uma cidade. Era especialmente um tribunal de apelação. Tinha a competência de poder aplicar a pena capital. O Sinédrio se reunia em uma câmara importante de pedra lavrada. Seus ilustres membros assentavam-se formando um semicírculo, com o acusado na sua frente. A polícia executava as ordens deste tribunal. (Mateus 26:47; João 18:12). O Sinédrio tem a responsabilidade da maior tragédia de toda a história, Mateus 26:59; Marcos 14:55; 15:1; Lucas 22:66 e João 11:47. Devemos notar, contudo, que entre os membros deste Sinédrio estava Nicodemos (João 3:1-21; 5:50-52 e 19:39), que se converteu; e José de Arimatéia (João 19:38). Pedro, João e outros apóstolos perante o mesmo tribunal (Atos 4:5; 6:15; 5:21, 27, 34). Estevão, cristão, levado ao Sinédrio (Atos 6:12). Paulo, o grande apóstolo, (Atos 20:30; 23:1, 15 e 24:20.

Quais eram suas qualidades?
"Então um homem chamado José, natural de Arimatéia, cidade dos judeus, membro do sinédrio, homem bom e justo, o qual não tinha consentido no conselho e nos atos dos outros, e que esperava o reino de Deus" (Lucas 23:50-51).

Pelo que a Palavra de Deus no texto acima relata, José de Arimatéia nasceu em Arimatéia, uma cidade dos judeus, de onde provém seu nome, era um homem honrado, de poder, reconhecido na cidade e também um homem justo e de bem e que não consentia com os atos incorretos dos outros.

Qual foi sua importância na vida e também na morte de Jesus?
Vejamos o que diz em João:

"Depois disto, José de Arimatéia, que era discípulo de Jesus, embora oculto por medo dos judeus, rogou a Pilatos que lhe permitisse tirar o corpo de Jesus; e Pilatos lho permitiu. Então foi e o tirou. E Nicodemos, aquele que anteriormente viera ter com Jesus de noite, foi também, levando cerca de cem libras duma mistura de mirra e aloés. Tomaram, pois, o corpo de Jesus, e o envolveram em panos de linho com as especiarias, como os judeus costumavam fazer na preparação para a sepultura. No lugar onde Jesus foi crucificado havia um jardim, e nesse jardim um sepulcro novo, em que ninguém ainda havia sido posto. Ali, pois, por ser a véspera do sábado dos judeus, e por estar perto aquele sepulcro, puseram a Jesus". (João 19:38-42).

Em Mateus:
"Ao cair da tarde, veio um homem rico de Arimatéia, chamado José, que também era discípulo de Jesus. Esse foi a Pilatos e pediu o corpo de Jesus. Então Pilatos mandou que lhe fosse entregue. E José, tomando o corpo, envolveu-o num pano limpo, de linho, e depositou-o no seu sepulcro novo, que havia aberto em rocha; e, rodando uma grande pedra para a porta do sepulcro, retirou-se". (Mateus 27:57-60).

Em Marcos:
"José de Arimatéia, ilustre membro do sinédrio, que também esperava o reino de Deus, cobrando ânimo foi Pilatos e pediu o corpo de Jesus. Admirou-se Pilatos de que já tivesse morrido; e chamando o centurião, perguntou-lhe se, de fato, havia morrido. E, depois que o soube do centurião, cedeu o cadáver a José; o qual tendo comprado um pano de linho, tirou da cruz o corpo, envolveu-o no pano e o depositou num sepulcro aberto em rocha; e rolou uma pedra para a porta do sepulcro". (Marcos 15 43:46).

E também em Lucas:
"Então um homem chamado José, natural de Arimatéia, cidade dos judeus, membro do sinédrio, homem bom e justo, o qual não tinha consentido no conselho e nos atos dos outros, e que esperava o reino de Deus, chegando a Pilatos, pediu-lhe o corpo de Jesus; e tirando-o da cruz, envolveu-o num pano de linho, e pô-lo num sepulcro escavado em rocha, onde ninguém ainda havia sido posto. Era o dia da preparação, e ia começar o sábado. E as mulheres que tinham vindo com ele da Galiléia, seguindo a José, viram o sepulcro, e como o corpo foi ali depositado". (Lucas 23:50-55).

Segundo o que diz a Bíblia, nas passagens de João e Mateus, que este homem era um discípulo de Jesus. Ele o seguia ocultamente por medo dos judeus. E mesmo receoso, podemos notar nos quatro Evangelhos; João, Mateus, Marcos e Lucas que José de Arimatéia pediu a Pilatos o corpo de Jesus para sepulta-lo e, juntamente com Nicodemos que também era cristão, fez um enterro honrado para Jesus colocando-O num sepulcro novo escavado nas rochas, onde além de ser um jardim, jamais havia sido enterrado alguém.

José de Arimatéia era um cristão?

Podemos dizer quase com convicção que sim, pois tudo que nos mostra a Palavra de Deus, indica que era um homem convertido, um cristão. Vejamos onde podemos tirar tais conclusões pela própria Bíblia.

Aguardava o Reino de Deus ( Marcos 15:43 ).
Apesar de ser um homem rico e reconhecido na sociedade por ser um membro do Sinédrio ( Mateus 27:57 ) era bom, Justo e não consentiu no Conselho nos atos incorretos dos outros ( Lucas 23:50-51 ).
Era um discípulo de Jesus, mas oculto com medo dos judeus ( João 19:38 ).
Demonstrou que honrou a Jesus pondo-O pedindo deu corpo e colocando-O em um sepulcro escavado na rocha onde era um jardim e ninguém ainda havia sido sepultado. ( João 19:40-42; Marcos 15:46; Mateus 27:59-60 e Lucas 23:53 ).

Na Palavra de Deus, a Bíblia, às vezes alguma passagem nos parece sem sentido, ou até mesmo que não se encaixam no contexto da história, mas devemos olhá-las com carinho e estudá-las com muita atenção pois, sabemos que não há contradições na Bíblia. Por exemplo: José de Arimatéia, embora pareça ter surgido simplesmente, ter aparecido do nada... não é o que realmente aconteceu. Embora cristão, assim como Nicodemos faziam parte do Sinédrio, e tinha por obrigação julgar causas.

Alguns dos julgamentos, inclusive, eram dos próprios cristãos, como podemos ver acima na pequena abertura que fiz do significado do Sinédrio. Observamos que Paulo, Pedro, Estevão e outros foram levados a julgamento por este Concílio.

Sabemos também que naquele tempo, os judeus não suportavam os crentes. Para os cristãos louvar a Deus ou orar não havia igreja com portas abertas. O culto a Deus não podia ser feito às claras, eles eram feitos nas casas, nas cavernas das montanhas e outros locais, normalmente nas madrugadas, às escondidas. Ninguém poderia sequer imaginar que estavam sendo feitos tais cultos, senão seriam levados à corte, ao Sinédrio e certamente seriam condenados à morte. Por este motivo é que José de Arimatéia não era muito evidente nos Evangelhos. Mas no momento em que Cristo precisou dele, ainda que na sua morte, uniu-se ao seu irmão em Cristo, Nicodemos, e cuidou de Jesus, fazendo seu sepultamento e ficou no aguardo do cumprimento da Palavra de Deus que seria a Sua ressurreição.

Jesus chorou.

"João 11:35"

Estudos Bíblicos A Justificação pela Fé